Blog do Espaço

O que dizer e não dizer para um enlutado

Eu trabalho há anos com enlutados e uma questão muito comum entre esses clientes, é a percepção de que seus amigos e familiares não sabem o que dizer e/ou como lidar e conversar com eles após a perda de alguma pessoa querida. Portanto, esse texto tem o intuito de contribuir com essa problemática. Para construir esse raciocínio passaremos pelos seguintes pontos:

-O luto;

-Por que o luto nos faz sofrer?

-Coisas para dizer a um enlutado;

-O que evitar fazer ou dizer a um enlutado;

-Não há duas experiências de luto iguais;

O luto

Encontrar as palavras certas quando alguém está de luto pode ser difícil, mas ser honesto e permitir que eles sejam ouvidos é um bom começo. O luto, embora desconfortável, é inevitável – todos experimentam a perda de alguma forma ao longo da vida.

O luto é uma parte natural da vida e pode ocorrer após a perda de:

-um ente querido – seja por morte ou um relacionamento mudado;

-um trabalho;

-uma casa de infância;

-autonomia ou independência devido a doença ou velhice;

-coisas mais abstratas, como oportunidades ou perspectivas para o futuro;

Para aqueles que estão passando por luto, o apoio da família, amigos, colegas de trabalho ou conhecidos é muito importante.  Pesquisas já demonstram que se o enlutado se sente recebendo apoio social, isso facilita o processo de reorganização da vida após a perda, diminuindo significativamente os lutos patológicos. Porém, muitos ficam sem palavras, sem saber o que dizer ou não dizer em um momento de dor de seu ente querido.

Por que o luto nos faz sofrer?

A dor em decorrência de uma perda pode aparecer de várias maneiras, desde a raiva até a tristeza extrema, podendo o enlutado conseguir expressar tal sofrimento ou se sentir paralisado diante de tamanha dor.  Como somos todos diferentes, lidamos com a perda de várias maneiras. Não existe uma maneira “certa” de se fazer isso.  Só porque o luto é confuso e difícil, não o torna errado. É uma resposta natural, normal e saudável à perda de alguém que você ama, pois o luto faz parte do amor e dos relacionamentos., é a resposta ao rompimento de um vínculo.

O que dizer a alguém que está sofrendo

A parte mais importante quando se trata do que você deve dizer a alguém que está sofrendo, não se demonstra em palavras, mas sim em uma postura em que se demonstra se importar com a pessoa e acolher sua experiência de todas as formas, sabendo que não é responsabilidade de ninguém lhe tirar a dor. Não é seu trabalho ajudar sua pessoa a parar de sofrer. Seu trabalho como pessoa é dar apoio, não é sua função fazer o enlutado esquecer de sua dor. É importante ajudá-lo a se sentir cuidado e ouvido.

Seguem algumas dicas práticas sobre o que dizer a alguém que está de luto:

-Fale algo!

Uma das reações mais comuns das pessoas que veem alguém que passou por uma perda é evitar totalmente a conversa por medo de dizer a coisa “errada”.   Tente encontrar coragem para falar com o enlutado, isso vai ajudá-lo a não se sentir ignorado ou deixado sozinho.

Você pode dizer algo simples como: “Eu ouvi sobre sua perda e sinto muito. Posso fazer alguma coisa para lhe ajudar?”

Às vezes, pode ser útil ser específico, pois algumas pessoas em luto podem não saber do que precisam no momento. Considere oferecer-se para ajudar com tarefas cotidianas, isso se a pessoa e você se sentirem confortáveis com isso.

-Seja verdadeiro!

Ser honesto e dizer sobre sua falta de experiência é a melhor coisa a fazer, em vez de tentar acertar exatamente o tempo todo, visto que isso é impossível. O mais importante é deixar o enlutado saber que você está lá, então é melhor ser sincero. Se você não sabe como apoiar alguém, tente dizer algo como:

“Não sei o que dizer, mas eu me importo muito contigo e quero que você se sinta ouvido.”

“Não tenho certeza do que dizer, mas estou aqui para lhe ouvir/apoiar no que você precisar de mim.”

– Entre em contato

Um simples checar como a pessoa está é demonstrar que você se importa. Muitas pessoas deixam de demonstrar cuidado e apoio ao enlutado depois das primeiras semanas após a perda. O luto não se encerra após as cerimônias funerárias, entenda que o luto é uma experiência singular e exige um processo de readaptação da vida, por isso, leva tempo.

Perguntar como a está, principalmente nas semanas seguintes à perda, pode ser uma pergunta difícil, mas se disponha a ouvir e compreender os sentimentos difíceis que a pessoa pode estar experienciando.

As pessoas necessitam se sentir ouvidas e compreendidas., principalmente os enlutados, pois podem se sentir sozinhos e perdidos com os impactos do luto em sua vida. Validar o que eles estão sentindo ou experimentando durante um período de luto pode ajudá-los a se sentir menos sozinhos e normalizar suas emoções.

-Não tema piorar a dor do enlutado

Usualmente as pessoas se preocupam em deixar a pessoa de luto mais triste, se lhe perguntar ou dizer algo, mas é improvável que isso aconteça. Seja quem você é e haja de acordo com seu relacionamento com essa pessoa. Não tenha medo de dizer o nome doa pessoa que faleceu ou sinta que deve evitar ativamente lugares ou situações que possam lembrá-los do que perderam – eles não vão esquecer.

Vá para a relação com atenção às emoções do enlutado, sua sensibilidade pode ajudar.

Se não souber o que dizer, expresse sua disponibilidade, mesmo semanas depois da perda, de continuar a ouvir sobre o que o enlutado está sentindo ou necessitando.

O que não dizer a alguém de luto

Esse tópico é muito importante para pensar o que podemos dizer que pode causar incômodo a um enlutado. Algumas dessas declarações podem parecer bastante inoportunas, seguem alguns exemplos do que não falar:

“Pelo menos você os teve por tanto tempo quanto você.”

“Ela está em um lugar melhor agora.”

“Pelo menos agora você sabe o que é realmente importante na vida.”

“Isso fará de você uma pessoa melhor no final. Você nem sempre se sentirá tão mal.” “Tudo isso faz parte do plano.”

“Tudo acontece por uma razão.”

Outras respostas podem ser carregadas de culpa, como:

“Agora você sabe melhor.”

“Talvez você devesse ter ouvido sua intuição naquele dia.”

“Aposto que você não vai descontar sua voz interior da próxima vez.”

Essas falas geralmente têm intenção de fazer com que o enlutado veja algo para além de sua dor e traga conforto, mas conselhos não solicitados fazem o enlutado se sentir incomodando e errado por estar sofrendo por sua perda, se culpando por incomodar a outros.

Quando você responde a alguém que está passando por um momento difícil com frases como as acima, você está deixando-o saber que seu desconforto é mais importante do que seus sentimentos honestos.

Repito: -Você não precisa solucionar o sofrimento do outro ou fazê-lo parar de lamentar a sua perda! Seu papel é dar suporte e espaço de fala para seu ente querido. É ser companheiro neste momento de vida tão difícil! Se você apenas deseja que um ele saiba que gostaria de estar presente, mas não tem certeza de como ajudar – não há problema em dizer isso a eles.

Se você está se sentindo estranho e preocupado em piorar a situação, lembre-se de que provavelmente não pode piorar. Considere dizer a seu amigo ou familiar que, embora às vezes você possa inevitavelmente errar, você está lá para ajudá-lo.

Não há duas experiências de luto iguais

A maioria das experiências de luto é complexa, por isso, é errado pensar em um tempo normal de um enlutamento. Não se pode quantificar o tempo de um luto., cada pessoa e vínculo estabelecido é singular. Perder uma pessoa que amamos e de quem dependemos causa sofrimento. Pode gerar uma sensação de insegurança e de que uma proteção pode não existir mais, e isso pode contribuir para os sentimentos de solidão e isolamento emocional.

O luto é uma vivência que muitas vezes pode necessitar de serviços de profissionais de saúde mental. E é importante lembrar que se pode experimentar emoções difíceis relacionadas à perda mesmo anos após a morte de uma pessoa significativa. Procurar ajuda profissional de saúde mental pode ajudar um enlutado a lidar melhor com sua vida e sofrimentos. Não hesite em buscar ajuda! Consultas psicológicas podem ajudar enlutados neste processo. Se quiser conversar com uma das nossas profissionais para entender se de fato faz sentido esse tipo de ajuda para você, clique aqui.

Fotos: https://br.freepik.com/

Juliana Fitaroni

Juliana Fitaroni

Psicóloga, CRP 18/02964

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados:
Relacionamento Humano

Como ser uma pessoa original?

Você se considera uma pessoa original? Você saberia identificar uma pessoa autêntica? Imagino que poucos teriam segurança suficiente para responder que sim e a maioria

Ler Mais »
Assine a Newsletter do Espaço!

Compartilhe: