Blog do Espaço

SEPARAÇÃO! Como lidar com o fim de um relacionamento

Passamos a vida procurando o nosso par perfeito, aquela relação que ajude a fazer nossos dias mais felizes. Por vezes, a união tão sonhada, por diferentes razões deixa de fazer sentido na nossa vida e uma separação se faz necessária.

É chegada a hora de dar novos rumos, encerrar este ciclo e recomeçar novos caminhos. É justamente sobre a separação e o fim de relacionamentos que vamos conversar hoje por aqui no nosso blog. Para tanto, nossas reflexões estão divididas em quatro tópicos principais:

  • Investir no relacionamento x decidir pela separação;
  • Terapia de casal pode ajudar?
  • Decisão da separação;
  • Dicas para lidar com o fim de um relacionamento.

Investir no relacionamento X decidir pela separação

A nossa sociedade moderna já deu outro significado para o termo: felizes para sempre! Atualmente já não se entra em um relacionamento com o pensamento super romântico de que ele vai durar para sempre, como nos contos infantis, bem como, não se inicia um relacionamento pensando em quanto tempo ele vai durar.

Em alguns momentos, pode surgir a dúvida, vale a pena investir mais no relacionamento ou será que é hora de optar pela separação?

Algumas reflexões podem ajudar a pensar sobre este momento, a primeira delas é refletir sobre si mesmo. Quais são os seus valores pessoais que interferem na relação? O que significa estar nesta relação específica? Pensar nos pontos positivos, bem como nos negativos, aumentam a nossa percepção e por causa disto, ajudam a deixar mais claro os significados da relação.

Reflita também sobre a outra pessoa envolvida na relação, qual a expectativa dela? Em que pontos a relação está dando certo para ela? Quais são as situações em que há conflitos? Pensar sob o ponto de vista do outro, igualmente amplia o nosso olhar sobre a situação.

O próximo passo é pensar em vocês, juntos, como casal, ou seja, o exato ponto em que a relação é construída. Como são os momentos que passam juntos? Há sintonia? Como é o dia a dia? Há espaço de respeito para as duas pessoas individualmente, bem como na relação? Quais são as emoções e sentimentos que aparecem, como se sentem juntos?

Esta avaliação é muito pessoal, pois é recheada de percepções individuais, de forma que, manter a relação ou separar, é uma decisão que só cabe ao casal. Somente cada pessoa pode dizer os reais significados que foram construídos nas relações.

Terapia de Casal pode ajudar?

Se estas reflexões feitas por você apontam para um caminho possível de manter a união, alguns pontos precisarão ser conversados entre vocês. Através de uma comunicação clara, não violenta e saudável, é preciso conversar com o outro estes pontos de reflexão. É preciso que, juntos, cheguem a um consenso, deixando claro onde estão os desconfortos e de que forma é possível rever estes pontos.

Neste momento, em que há vontade de investir na relação para melhorá-la, muitas dúvidas e receios aparecem, é neste momento que uma ajuda profissional pode ajudar. Por conta disto, geralmente, é um dos momentos mais frutíferos para se fazer uma terapia de casal.

Importante ressaltar que a terapia de casal, visa auxiliar o casal nos conflitos que estão aparecendo, no reconhecimento de sentimentos, de responsabilidades, de atitudes de ambas as partes. Ajuda a aumentar a conexão, facilitando o diálogo, ampliando a percepção sobre o casal.

Neste contexto, a terapia de casal pode ajudar, desde que seja uma vontade do casal, e não a vontade somente de uma das partes. Contudo, se somente uma das partes tiver o desejo de realizar terapia, com o foco mais individual, é possível se pensar em uma terapia individual e não de casal para este momento,

Decisão da Separação

Se a avaliação é de que não faz mais sentido a vida a dois, de que a relação não está sendo saudável e que não há forma de levá-la adiante, a decisão de separar é a que se apresenta neste contexto.

A decisão pela separação não deve ser tomada de forma impulsiva, como um rompante por causa de conflitos. Ela é uma decisão muito importante de vida, e como tal, deve ser uma decisão tomada com sensatez e calma.

Neste ciclo que chega ao fim, é importante uma reorganização da vida, pois é preciso rever todo o dia a dia, levar em conta se moram juntos, como será a nova rotina, até a documentação legal, se for o caso.

É fundamental que se for uma relação com filhos, que haja uma comunicação que facilite o diálogo com as crianças ou adolescentes, de forma que haja a compreensão de que o que se encerra é a relação do casal, mas a relação de pais vai continuar permacendo.

Vale lembrar que o término da relação conjugal, não significa o término da relação parental, e é preciso muito diálogo para organizar todo este processo, em outras palavras, é preciso que se organize com maior cautela as questões legais de guarda e como será a rotina diante de pais separados.

Em suma, quando a decisão de separação é tomada, há ainda outras decisões importantes que precisam ser tomadas pelo casal, o que implica que o diálogo precisa ser mantido para várias situações neste processo.  

Dicas para lidar com o fim de um relacionamento:

Quando a relação chega realmente ao fim, as pessoas podem reagir de formas muito diferentes, é possível que estas dicas possam ajudar a lidar com este momento de término:

  • Vivencie os sentimentos: permita-se sentir, ou seja, vivenciar os sentimentos que aparecem com o término. De acordo com o processo, eles aparecem de forma muito variada e com intensidade bem diferentes: podem aparecer a raiva, a tristeza, o alívio, o sentimento de vazio, de solidão. O caminho é o de reconhecer e dar espaço para estes sentimento, como forma de superar o término;
  • Busque a sua identidade: reflita sobre você neste processo de término. Em uma relação temos a tendência de renunciar a algumas coisas nossas, sejam elas de jeito de ser, sejam de hábitos, para facilitar o equilíbrio da relação a dois. Buscar uma reconexão consigo mesmo fortalece a identidade e por conta disto, ajuda a resgatar quem somos. Reconhecer quem somos é um passo que nos dá abertura para seguir adiante; 
  • Recorra a sua rede de apoio: nestes momentos mais difíceis, é importante ter amigos ou familiares com quem se possa conversar, que ajudem a elaborar o que está sendo vivido. Se a sua rede de apoio for muito frágil ou se os sentimentos gerados pela separação estiverem muito intensos e gerando muito sofrimento, a ajuda de um psicólogo pode ser importante.
  • Esteja disposto a fechar ciclos: vivenciamos alguns momentos de vida que são fechamento de ciclos, eles não costumam acontecer sem um certo sofrimento. Mas somente vivenciando estes momentos é que conseguimos possibilitar a chegada do novo e a abertura de um novo ciclo de vida.

Movimentos de vida

Quando a pauta são relações humanas, estamos falando de questões que estão sempre em movimento. Todos nós, seres humanos, tendemos a buscar melhorias, evolução, mudanças em nós e nas nossas relações.

É, portanto, natural e esperado que isto também faça parte das nossas relações amorosas. Buscamos sempre a nossa realização e em se tratando de relação amorosa, faz sentido mantê-la na medida em que ela nos permita evoluir, crescer e viver de forma saudável.

Quando a opção é pela separação, ela não deve ser vista como um fracasso pessoal, mas sim como uma possibilidade de vida diferente. São mudanças importantes que fazem parte do movimento de vida. E que nos tornam, cada vez mais próximos e alinhados com o nosso jeito de ser na vida.

E lembre-se, se o processo de separação estiver muito difícil, conte conosco neste canal aqui.   

Jamile Allebrandt

Jamile Allebrandt

Psicóloga, CRP 12/06051

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados:
Relacionamento Humano

Que história é essa?

Certo dia eu estava em uma farmácia fazendo compras e escutei o pedido de socorro de uma voz masculina. Imediatamente, parei o que estava fazendo

Ler Mais »
Relacionamento Humano

Mais Gentileza, por favor!

Você se considera uma pessoa gentil? Você propaga práticas de gentileza como recurso para promover o bem-estar? Nossas respostas para essas perguntas poderão nos ajudar

Ler Mais »
Assine a Newsletter do Espaço!

Compartilhe: